– O que é Hepatite B?

Doença infecciosa viral, contagiosa, causada pelo vírus da hepatite B (VHB ou HBV), podendo apresentar-se como infecção assintomática ou sintomática. Em pessoas adultas infectadas com o HBV, 80 a 85% se curam espontaneamente; 15 a 20% permanecem com o vírus por mais de 6 meses, evoluindo para a forma crônica da doença. Os pacientes com a forma crônica podem apresentar-se em uma condição de replicação do vírus, o que confere maior propensão de evolução da doença para formas avançadas, como a cirrose, ou podem permanecer sem replicação do vírus, o que confere taxas menores de progressão da doença.

Em percentual inferior a 1% apresenta com quadro agudo grave (fulminante). A infecção em neonatos apresenta uma taxa de cronificação muito superior aquela que encontramos na infecção do adulto. Cêrca de 90% dos neonatos evolui para a forma crônica e pode, no futuro, apresentar cirrose e/ou carcinoma hepatocelular.

– Qual o período de incubação da hepatite B?

O período de incubação, intervalo entre a exposição efetiva do hospedeiro suscetível ao vírus e o início dos sinais e sintomas da doença varia de 30 a 180 dias (média de 70 dias).

– Como a hepatite B é transmitida?

  • Por meio de relações sexuais desprotegidas, pois o vírus encontra-se no sêmen e nas secreções vaginais. Há que se considerar que existe um gradiente de risco decrescente desde o sexo anal receptivo, até o sexo oral insertivo sem ejaculação na boca;
  • Realização dos seguintes procedimentos sem esterilização adequada ou utilização de material descartável: intervenções odontológicas e cirúrgicas, hemodiálise, endoscopias, colonoscopias, tatuagens, perfurações de orelha, colocação de piercings;
  • Transfusão de sangue e derivados contaminados (hoje muito rara);
  • Uso de drogas com compartilhamento de seringas, agulhas ou outros equipamentos;
  • Transmissão vertical (mãe / filho);
  • Aleitamento materno;
  • Acidentes perfuro cortantes;
  • Transmissão intrafamiliar entre crianças (comum na Amazônia).

– Como prevenir a hepatite B?

Educação e divulgação do problema são fundamentais para prevenir a hepatite B e outras ISTs. Além destas ações, a cadeia de transmissão da doença é interrompida a partir de:

  • Controle efetivo de bancos de sangue através da triagem sorológica;
  • Uso da camisinha nas relações sexuais;
  • Vacinação contra hepatite B, disponível no SUS para as seguintes situações:

Vacina
Atualmente, o Sistema Único de Saúde disponibiliza gratuitamente vacina contra a hepatite B, em qualquer idade e em qualquer posto de saúde.

Em recém-nascidos, a primeira dose da vacina deve ser aplicada logo após o nascimento, nas primeiras 12 horas de vida, para evitar a transmissão vertical. Caso isso não tenha sido possível, iniciar o esquema o mais precocemente possível, na unidade neonatal ou na primeira visita ao Posto de Saúde. A vacina contra hepatite B pode ser administrada em qualquer idade e simultaneamente com outras vacinas do calendário básico.

A imunização contra a hepatite B é realizada em três doses, com intervalo de um mês entre a primeira e a segunda dose e de seis meses entre a primeira e a terceira dose (0, 1 e 6 meses). No Brasil a vacinação em postos de saúde está franqueada a qualquer cidadão com qualquer idade. Noventa (90) dias após a vacina, fazer o teste anti-HBs para ver se ganhou imunidade.

. Uso de Imunoglobulina Humana Anti-Vírus da hepatite B nas seguintes situações:

  • Recém-nascidos de mães portadoras;
  • Contatos sexuais com portadores ou com infecção aguda (o mais cedo possível e até 14 dias após a relação sexual);
  • Vítimas de violência sexual (o mais cedo possível e até 14 dias após o estupro);
  • Acidentes ocupacionais segundo Manual de Exposição Ocupacional – Recomendações para atendimento e acompanhamento de exposição ocupacional a material biológico: HIV e hepatites B e C, que pode ser encontrado no site www.aids.gov.br
  • Uso de equipamentos de proteção individual pelos profissionais da área da saúde;
  • Não compartilhamento de alicates de unha, lâminas de barbear, escovas de dente, equipamentos para uso de drogas.

– Como se faz a detecção da hepatite B?

O diagnóstico da hepatite B é feito por meio de exame de sangue específico (sorologia ou teste rápido). Além dos medicamentos (quando necessários), indica-se corte no consumo de bebidas alcoólicas pelo período mínimo de seis meses e remédios para aliviar sintomas como vômito e febre.

– Como é o tratamento da hepatite B?

Hepatite aguda: acompanhamento ambulatorial com tratamento sintomático, repouso relativo, dieta conforme a aceitação, normalmente de fácil digestão, pois freqüentemente os pacientes estão com um pouco de anorexia e intolerância alimentar; abstinência de consumo alcoólico e uso de medicações para vômitos e febre, se necessário.

Hepatite crônica: O tratamento medicamentoso está indicado para algumas formas da doença crônica, e devido à sua complexidade, deverá ser realizado em ambulatório especializado. Os medicamentos Peg-Interferon, Tenofovir, Entecavir estão disponíveis na rede pública.

Varios novos medicamentos estão em estudo para o tratamento da hepatite B. Estes medicamentos terão como objetivo eliminar o vírus, ao invés de controlar a doença como fazemos atualmente.

Acredita-se que o tratamento da Hepatite B crônica poderá eliminar completamente o vírus dentro de 5 anos.

– Quem são os comunicantes dos portadores de hepatite B?

  • Parceiros sexuais.
  • Indivíduo que compartilha material para uso de drogas (seringas, agulhas, canudos etc.).
  • Filhos de mãe portadora.
  • Indivíduos do mesmo domicílio que compartilham lâminas de barbear ou outros aparelhos perfurocortantes.